Num tempo antigo
bramiam estrídulos os sinos 
ao anúncio de catástrofe
de novo os sinos
anunciavam esperança
entoando hinos de assunção
os sinos , os sinos, os sinos
estremeciam os mortos 
tomavam de assalto os vivos 
e a cada toada estridente 
rendiam-se ensurdecidos 
vazios ... exauridos ...
todos os mortos e vivos